Últimos assuntos
» Desmame de mirtazapina
Sex Jan 11 2019, 00:33 por Gustavo B

» Nada para esperar 2
Ter Jan 08 2019, 11:28 por Doutor Marigold

» SENTINDO SOZINHA, RODEADA DE DE GENTE
Ter Jan 01 2019, 22:09 por Azul1991

» Nada para esperar
Ter Jan 01 2019, 11:43 por zeta

» Desmame de Venlafaxina, Triticum e Zolpidem
Qui Dez 27 2018, 23:06 por Brick

» Desmame de Fluvoxamina e Trazodona
Ter Dez 25 2018, 18:52 por MisterJB

» EFEITOS DO DESMAME BENZOADIAZE
Qua Dez 19 2018, 08:00 por Brigadamecanizada

» 5 meses a limpo.
Qua Dez 19 2018, 07:35 por Brigadamecanizada

» Serão meras extrassistoles???!!!
Qua Dez 05 2018, 23:34 por RitaS

» Medicação....
Ter Dez 04 2018, 21:50 por Brick

Quem está conectado
6 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 6 Visitantes

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 65 em Seg Jan 01 2007, 03:04

Problemas desmame de Mirtazapina...por aqui de novo

Ir em baixo

Problemas desmame de Mirtazapina...por aqui de novo

Mensagem por Beli em Qua Jul 06 2016, 08:40

Já há muito tempo que não vinha aqui ao forum...e é mau só vir aqui desabafar, quando já tive periodos melhores com as drogas quimicas.
Tenho alguns posts anteriores, mas como já têm algum tempo, aqui vai um resumo atualizado do meu percurso com as drogas quimicas (medicamentos) de que estou infelizmente dependente.

No final da adolescência principio da vida adulta, ainda na faculdade comecei a ter ataques de pânico e há 30 anos atrás, não havia o acesso a conhecimento como hoje, nem tantas vias de abordagem alternativas como atualmente, assim depois de fazer alguns exames ( electroencefalograma, ecocardiograma...) e despistado outras causas, era do sistema nervoso e lá vieram os benditos Lexotan. Que acalmavam mesmo e segundo os médicos não faziam mal. Desconhecimento deles e meu do inferno que estava a iniciar. E seguiram-se muitos anos entre tomar doses minimas, do medicamento, mas quase sempre presente. Só vários anos mais tarde percebi que estava totalmente dependente, mas como tomava doses muito baixas 1,5 mg ou 0,75mg por dia, às vezes saltava uns dias e com a vida profissional intensa ignorei estupidamente esta situação.

Há 4 anos, apareceu-me uma arritmia, tive que diminuir o exercicio fisico que fazia  e tive que começar a tomar um betabloqueante, a vida complicou-se e aumentei as doses do lexotan e entrei tuma espiral de ansiedade, sindromas de abstinência entre doses, insónias ( muitas noites sem dormir mesmo nada), tremuras, sensações esquisitas pelo corpo...

Abreviando o ano passado, em Janeiro de 2015. Com orientação de um psiquiatra, e após uma crise de descompensação enorme. Foi introduzida a Mirtazapina por causa do sono e o lexotam substituido por diazepam e fiquei contente porque aguentei a permuta e estava com uma benzoadiazepina aparentemente mais fácil de largar. Fui fazendo o desmame lento e gradual. Em Agosto de 2015 deixei o diazepan e em Dezembro, consegui deixar a mirtazapina. Fiquei felicissima, só que passadas 2 semanas e meia, mais precisamente na véspera de natal tive uma cólica renal ( eu nem sonhava que tinha pedras nos rins) e mesmo recorrendo a um hospital privado de Lisboa, devido á época natalicia, não me fizeram eco e não se apaerceberam que a pedra nunca poderia sair normalmente devido à sua dimensão, e que já tinha encravado à saído do rim e inicio do ureter, só passados 5 dias tive uma intervenção cirurgica para tratar a situação, resultado foram 5 noites seguidas cheia de dores, sem conseguir dormir e o equilibrio do meu sono que ainda era frágil ficou destruido. Não conseguia dormir, tremia, ansiedade descontrolada...

Enfim de volta à medicação, porque assim também não aguentava e os sintomas de arritmia estavam outra vez em alta devido à falta de descanso.

Assim dia 11 de janeiro deste ano, outra vez com medicação: 10mg de Diazepan repartido por 2 tomas e 15mg de Mirtazapina ao deitar. Equilibrei e recomecei o desmame. Menos lento do que o ano passado tenho essa noção. Há 2 meses atrás (Maio)consegui retirar o diazepan. E quase sem parar comecei a reduzir os 7,5mg de mirtazapina ( já tinha retirado 7,5mg).

E penso que foi esse o meu erro ( Estupidez!!!! já sei tanto de desmames, por experiência própria, pelo que tenho lido...e falhei) comecei a diminuir retirando lascas ao meio comprimido, mas permanecendo apenas 10 dias ou menos entre cada 2 cortes. Queria ver-me livre rápidamente da droga e como me sentia cada vez melhor, no passado dia 24 de junho deixei de tomar...só aguentei 2 dias, apareceu-me uma ansiedade aguda, que vem em ondas, picadas no corpo, sensações de queimadura na pele, incapacidade de dormir...uma descida completa ao inferno. Voltei atrás e já voltei mesmo aos 7,5mg de mirtazapina. E continuo toda destabilizada. Esta noite não dormi. Tive ontem consulta com o psiquiatra e concordámos que o ideal é evitar novamente tomar diazepan, porque larguei-o há 2 meses. Mas não sabia que esta noite iria ser assim....e não sei se terei que recorrer novamente a ele, nem sei como vou conseguir re-equilibrar.

Escrevo este informação, para quem estiver a reduzir medicação, nunca mas nunca o faça sem as aconselhadas 3-4 semanas de pausa entre as reduções.
Sobretudo quem é hipersensivel, como eu sou é carimbar passaporte para o inferno e retroceder ou ter que voltar ao inicio!!!

Estou muito muito aborrecida. As coisas podiam ter corrido mal, mesmo reduzindo devagar, mas assim é mesmo estender a passadeira para cair no abismo.
avatar
Beli

Mensagens : 65
Reputação : 6
Data de inscrição : 07/07/2012
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum