Últimos assuntos
» SENTINDO SOZINHA, RODEADA DE DE GENTE
Hoje à(s) 12:50 por CsaSousa

» Ansiedade e Hipocondria
Hoje à(s) 12:22 por CELIA GONÇALVES

» Um tabu entre clonazepam e alprazolam
Sex Nov 09 2018, 01:21 por LP0956

» 3 dias sem Paroxetina
Qua Nov 07 2018, 22:55 por Gustavo B

» Medicação para ansiedade
Ter Nov 06 2018, 00:31 por LP0956

» Rivotril ou Xanax para aliviar a abstinência causada pelo fim do efeito do Venvanse no final do dia?
Seg Nov 05 2018, 16:32 por LP0956

» Antidepressivos x vitaminas
Dom Nov 04 2018, 19:03 por Brick

» Mirtazipina
Seg Out 29 2018, 22:09 por Gustavo B

» Se não se morre da doença morre-se da cura!
Seg Out 29 2018, 16:37 por analobo

» Vida paralela
Seg Out 29 2018, 16:35 por analobo

Quem está conectado
5 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 5 Visitantes

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 65 em Seg Jan 01 2007, 03:04

Se não se morre da doença morre-se da cura!

Ir em baixo

Se não se morre da doença morre-se da cura!

Mensagem por fixit em Qua Mar 14 2018, 18:04

Olá a todos,
Faz uns anos que baralho contra este problema a que, na falta de melhor termo, vou chamar depressão e que se caracteriza sobretudo por um vazio quase constante e uma elevada desmotivação /tédio /falta de interesse para qualquer coisa da vida, incluindo passar tempo com outras pessoas e conversar.
Já experimentei praticamente de tudo, desde medicina convencional a medicinas alternativas incluindo uma "droga" chamada ayahuasca a qual os seus seguidores preferem o termo planta e enteogena ou medicinal. Já me enchi de gastar dinheiro durante todo este processo, com um único objetivo em mente:ter saúde quer física quer mental vale mais que qualquer dinheiro do mundo.
Com isto, passaram-se 15 anos (tenho neste momento quase 29 anos, sim isto começou era eu bastante jovem e foi piorando). A minha mãe suicidou-se aos 54 anos lidando com o mesmo problema desde muito jovem também. Pelo que ouvi dizer, mais umas 2 ou 3 pessoas na família cometeram suicídio. Sou a única pessoa que resta viva na família e nao queria nada que isso sucedesse também comigo, queria ser eu a pessoa capaz de quebrar este ciclo. Mas não está fácil sair das garras deste "monstro".
Neste momento estou com medicação (coisa que eu lutei para evitar durante vários anos, mas os sintomas já eram demasiado fortes). Tomo paroxetina 30mg, wellbutrin 300mg e Anafranil 150mg. Este cocktail deixa-me a cabeça um pouco mais calma, não tão perturbada, mas não faz grande coisa quanto ao vazio e apatia/falta de interesse nas coisas da vida. A última que me foi acrescentada, o Anafranil, provoca me alguns efeitos secundários, tipo tonturas e enjoos diários. Perguntei a médica se podia diminuir a dose. Tenho também consultas com um psicólogo faz 2 anos e tal. Apesar de tudo ele tem me ajudado muito a ir-me mantendo por cá. Queria também acrescentar que vivo só, não tenho namorado nem outra família lia que conheço. Tenho 2 ou 3 bons amigos, felizmente.
Uma esperança eu tenho mantido em mente: um dia (não sei quando) eu hei de encontrar uma solução. Até lá peço a Deus que me ajude, seja lá o que for que Deus signifique, que me ajude a encontrar um sentido para a minha vida, no meio do sofrimento e que me ajude a encontrar uma pessoa boa que me ame e queira partilhar a vida comigo.

fixit

Mensagens : 50
Reputação : 3
Data de inscrição : 10/10/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ter Fé

Mensagem por Amorosa em Dom Mar 18 2018, 09:42

Bom dia a todos os lutadores deste fórum, estou muito orgulhosa de todos vocês, primeiro porque buscam sempre tentativas para melhorar e segundo porque não se deixam vencer por estas doenças da moda. Mas amigos, estão na melhor altura para olharem para dentro de vocês mesmos e ultrapassarem de uma vez por todas estas situações, mas o esforço vai ter que ser todo vosso, e eu sei que vão conseguir. Eu já estive como alguns de vocês e graças a Deus já compreendo melhor o porquê de ter estado assim e ter mudado a minha vida. Por isso aconselho a todos vocês o que para mim foi a minha cura, recomendaram me o livro da Alexandra Solnado, Conexão, e eu sei que parece que não tem nada a ver, mas mas experimentem ler, também não têm nada a perder certo? É que é quem sabe pode ser a partir desse momento o primeiro passo para a cura, sem medicamentos sem nada, só com a vossa coragem.
Espero sinceramente que tenham coragem de dar o primeiro passo. Eu estou aqui para o que precisarem. Bem hajam

Amorosa

Mensagens : 26
Reputação : 7
Data de inscrição : 08/08/2013
Idade : 42
Localização : Setubal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Se não se morre da doença morre-se da cura!

Mensagem por analobo em Seg Mar 26 2018, 11:45

Olá fixit, espero que estejas bem. Fiquei bastante sensibilizada com a tua história.
Também já tentei algumas terapias alternativas para os problemas depressivos, incluindo Reiki, acupuntura, técnicas de relaxamento.., mas sem grande sucesso. Talvez por ser uma pessoa muito cética. A única coisa que me dá algum bem estar são massagens em termas/SPA, talvez pela componente de relaxamento muscular e sensação de bem estar. Todas as outras foram infrutíferas. Fiz cerca de 10 sessões de acupuntura, uma vez engaram-se no local de espetar a agulha e tive uma dor horrível e como não sentia efeito nenhum acabei por desistir.

Tens uma coisa bastante boa na tua vida, são esses 2 ou 3 amigos, não é fácil hoje em dia ter amigos realmente bons e disponíveis para ajudar. A maioria das pessoas acha que temos manias e demasiado tempo livre para pensar, que se tivéssemos trabalho a sério isso não acontecia. Sei que não sempre é fácil viver sozinha e era bom ter alguém com quem partilhar histórias e a vida, mas essa pessoa tem de ser alguém com alguma sensibilidade se não ainda pode fragilizar mais. Apesar dos vários avanços no campo da depressão / ansiedade a sociedade ainda discrimina muito as pessoas que tem este tipo de problemas e nem todos tem capacidade de viver com pessoas com estes problemas.

Uma coisa que às vezes resulta comigo é a música, tento ouvir musica com ritmos animados, latino ou electro, e caminho ao som dessa musica. Entretanto também regressei à escola de musica e estou aprender um novo instrumento. A música tem sido uma das minhas grandes companhias.

Espero sinceramente que consigas lidar com os teus sentimentos da melhor forma.



analobo

Mensagens : 13
Reputação : 0
Data de inscrição : 02/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Se não se morre da doença morre-se da cura!

Mensagem por fixit em Ter Mar 27 2018, 12:18

Olá analobo,

Obrigado pelo teu comentário. Concordo com o que disseste em relação à forma como algumas pessoas ainda olham para aqueles que sofrem de depressão e também o que disseste em relação aos relacionamentos. Tem de ser uma pessoa com sensibilidade, que seja capaz de te ouvir e compreender, que goste verdadeiramente de ti e se preocupe com o teu bem estar. É verdade, já se passou comigo ter um relacionamento com uma pessoa que ainda piorava tudo.

As termas ou SPA nunca experimentei mas soa me bem a ideia. A música antes ainda tinha efeito em mim, agora é raro. Ainda bem que a ti te ajuda. Dá para perceber também que tens um gosto especial pela música...

Vamos todos "lutando" com as armas que temos e esperando dias melhores. As vezes é difícil, o desespero, quase se perde a esperança, mas há sempre aquela força escondida dentro de nós que que muitas vezes julgávamos que nem tínhamos, aquele "e se"...uma luz, qualquer coisa, aquele algo que nos prende à vida.

Deixo também aqui uma mensagem que julgo importante, especialmente para quem se vê só, sem relações e sem esperanças, há uma linha de apoio gratuita, chama se VOZ AMIGA (sosvozamiga.org) que existe a pensar nestes casos, com uma pessoa do lado de lá disponível para vos escutar e dar um "ombro amigo" nos momentos mais difíceis. Eu liguei por duas vezes para essa linha e dessas duas vezes fui atendida (primeiro um homem, depois uma mulher) por duas pessoas bastante empáticas, compreensivas e informadas.

Enviado pelo Topic'it

fixit

Mensagens : 50
Reputação : 3
Data de inscrição : 10/10/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Se não se morre da doença morre-se da cura!

Mensagem por analobo em Seg Out 29 2018, 16:37

Ola Fixit,

Como tens passado ?

analobo

Mensagens : 13
Reputação : 0
Data de inscrição : 02/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Se não se morre da doença morre-se da cura!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum