Últimos assuntos
» Ansiedade/Fobia Social - Xanax Sintomas
Sex Mar 24 2017, 22:22 por Tiago Neves

» Meu diário enfrentando Depressão e TAG
Qui Mar 23 2017, 19:29 por Jana_10

» Sertralina
Qui Mar 23 2017, 18:48 por Convidado

» 194 dias sem Sedoxil!
Qui Mar 23 2017, 17:27 por Jana_10

» Meu relato de depressão...
Qui Mar 23 2017, 17:26 por Jana_10

» Ansiedade e ataques de pânico
Qua Mar 22 2017, 15:06 por MEB

» Fluvoxamina - efeitos secundários
Ter Mar 21 2017, 12:33 por 1006

» Porque sinto isto desta forma tão estranha?
Ter Mar 21 2017, 12:19 por sombraescura

» Em Nome do Pai, Em Nome do Filho
Seg Mar 20 2017, 00:44 por Vicent_Vega

» Falta de concentração e tonturas
Dom Mar 19 2017, 14:14 por Duarte

Quem está conectado
13 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 13 Visitantes

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 52 em Sab Fev 01 2014, 18:10

Leiam essa Letra Brutal

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Leiam essa Letra Brutal

Mensagem por AMNS em Seg Abr 18 2011, 21:51

Outra vez a paranóia
Não consigo afastar o stress
Sempre a pensar o mal não adormece
"Tentar manter a calma não te deixes vencer
não permitas que a raiva se apodere do teu ser"
Mas eu não consigo evitar em pensar nisto todo o dia
Toda a noite me atrofia,
A cabeça não está fria, de tanto maturar dói como se fosse estalar
Só quero um pouco de paz para poder recuperar
As ideias, continuam a desfilar à minha frente
Sequências saidas de uma mente doente
Parece que está tudo a andar à volta,
Na volta daqui a bocado vou arranjar uma escolta
Para me acompanhar numa viagem ao outro lado
A pouco e pouco a nóia deixa-me aprisionado
Não tenho hipótese alguma de sucesso estou possesso
E daqui prá frente já não há regresso

Suores frios passeiam - corpo abaixo corpo acima
Ferida aberta em carne viva que o álcool reanima
Permanentemente a queimar não deixa de me lembrar
que esta dor está aqui e veio para ficar
Tento a todo custo manter a sensatez
Digo a mim mesmo para não perder a lucidez
Mas da luz no fim do túnel já nada resta
E como nos filmes de sexta-feira à noite no canal fiesta
Sinto que já não sobra nenhum buraco aberto onde eu me possa enfiar
Perto do deserto,
Posso fugir mas não me posso esconder
Posso até rezar mas não há nada a fazer
Mais cedo ou mais tarde ela apanha o passo
Quase que já posso sentir a cabra a apertar o laço

PARANOIA PARANOIA PARANOIA É PRA TI lol!

avatar
AMNS

Mensagens : 89
Reputação : 4
Data de inscrição : 19/02/2011
Idade : 31
Localização : Braga

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum